-->

#17 RESENHA: O Limpador de Quintais - Afonso Celso Brandão de Sá


ALOOOO galera de caubói , como vão vocês? Andava meio sumida. com algumas resenhas e muitas leituras atrasadas, tudo culpa da faculdade (juro). Hoje chegou meu primeiro pacote com dois livros da editora Fragmentos, parceira linda aqui do blog, logo logo post exclusivo, mas agora vamos a resenha do livro O limpador de quintais, o autor já deve ser conhecido de vocês, parceiro antigo aqui do blog... Vamos lá caubóis...




Título Original: O Limpador De Quintais
Autor: Afonso Celso Brandão De Sá
Editora: Chiado (2016)
Páginas: 152
Avaliação:


Sinopse:  Esta é a história de um menino que, por força da miséria e da pobreza, da injustiça e da violência, do descaso e da omissão da sociedade, esteve à beira da perdição. É a história de uma vida sofrida, quase perdida nos descaminhos, dúvidas e desencontros de uma infância vivida sem amparo. É a história do encontro das drogas, da criminalidade e da banalização do sofrimento, mas é também a história de uma oportunidade mostrada por um desconhecido que resolve mostrar o caminho da paz e da luz a uma criança quase sem futuro. Esta é uma história de amor, de luta, de paz, de desespero e, também, de perseverança. 


                                                                               ●●●
O livro narrado em terceira pessoa nos apresenta a família Santos, que vivem na favela chamada Esperança. Seu Antônio, "chefe" da família de 6 filhos, acabara de perder seu emprego de "pedreiro", assim a fome e a pobreza tomam conta da família, nem mesmo o dinheiro de sua mulher e sua filha, que vinha da lavagem de roupas para fora estava resolvendo a triste situação da família.  Porém, mesmo com a miséria tomando conta, eles não perdiam uma só missa do Padre Dico, que era amigo da família, e torcia para que todos aquelas crianças e jovens tivessem um ótimo futuro..

“Entendia que se você tinha tudo o que queria, era feliz, mesmo se o "tudo" fosse tão pouco."
Seus filhos eram: Toninho era o filho mais velho, com 20 anos, este trabalhava junto ao seu pai.  Pedro com seus 17 anos era flanelinha. Augusto possuia apenas 14 anos, mas já aprendia a profissão de pedreiro com seu pai e irmão mais velho. Tereza de 11 anos, era a que ajudava sua mãe com as roupas. Dudu o qual o livro vai contar a história tinha apenas 8 anos, amava as partidas de futebol e o campinho onde eram sediadas era seu melhor amigo o garoto acreditava que o mesmo lhe dava conselhos, Dudu cuidava de sua irmãzinha mais nova de 5 anos, à Nazaré..

“Ás vezes é preciso que uma coisa ruim aconteça às pessoas para que passem a dar valor às coisas pequenas."
Seus Antônio desesperado com a fome batendo a sua porta, entre em uma procura frenética ppor emprego, mas com a crise que o país enfrenta, nada achou, assim desolado o homem se dirige até uma certa praça, onde encontra um rapaz com uma ótima proposta, Antônio apenas teria que entregar e buscar encomendas, em troca de muito dinheiro. O pai de família já ouvira falar sobre tráfico, mas acreditava que era uma realidade muito distante, mal sabia ele,que por sua desinformação estava se envolvendo em um caminho sem volta.

“Afinal um pouco de quase nada, é sempre pouco e o pouco para quem não tem quase nada, é muito."
A família estava muito feliz com o dinheiro retornando à suas mãos, porém uma série de tragédias estava preste a acontecer. 
Depois de toda a dura realidade, Dudu se vê forçado a sair de casa, e principalmente de seu mundinho de fantasia, se vê só, morando na rua, sem ter o que comer, até conhecer Tiago, um garoto um poco mais novo, porém acostumado com a dura realidade de milhares de pessoa. assim o mais novo auxilia Dudu em como se virar sozinho nesse perigoso mundo que é a rua..

“O vazio fica em companhia de uma saudade que nunca vai passar."
O livro apesar de forte, trás consigo uma linguagem leve e de fácil entendimento. Apesar do gênero ser ficção, o tema tratado é a mais pura realidade, coisas que para muitos pode parecer distante, ou até outra realidade, mas que está bem a nossa frente, contudo preferimos fechar nossos olhos para isto e talvez viver em nosso mundinho fantástico igual nosso protagonista vivia.

“Na verdade, para aquele menino, cada dia era vivido como uma vitória conseguida. A ele bastava viver."
Esta é uma obra a qual senti um certo alívio ao ler suas últimas linhas, pois já estava com aquela dor no peito com tudo que estava acontecendo, porém o autor consegue nos mostrar que a vida, pode dar mil voltas, mudar infinitamente, pois não temos controle sobre o que irá acontecer..

“De que vale a um homem ganhar o mundo inteiro se perder a sua alma?"

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Criado por: Mariely Abreu | Todos os direitos reservados ©. voltar ao topo