#29 Resenha: Histórias do amanhã: As cidade submersas


Olá pandas, como vão? Minhas leituras estão a mil, e é cada livro mais maravilhoso... Vamos ver a resenha de hoje?




AUTORA: Jamila Mafra
Ano: 2011  
Páginas: 88
Idioma: português
Editora: All Print Editora

Avaliação:


Sinopse:  A vida na Terra e também fora dela nunca foi tão desafiadora quanto agora. O futuro chegou e é preciso que decidamos o que faremos com o mundo daqui por diante. Histórias e fatos futuros narrados de um modo esplendoroso , e que certamente convidam todos à uma profunda reflexão sobre a existência em toda a sua extensão. Este planeta não é e nunca será o mesmo, assim também é com seus habitantes. Histórias Do Amanhã - As Cidades Submersas é mais que uma obra de ficção, é simplesmente o prelúdio do porvir.
                                                                         ●●● 
Histórias do amanhã é aquele pequeno livros de contos distópicos que é fundamental na cabeceira de todo mundo, tanto para refletir sobre o que acontece no nosso dia a dia, quanto para aproveitar a leveza das histórias. 
Ao todo são seis contos, que incluem robôs, alienígenas, cidades submersas, e várias críticas para a sociedade atual. Jamila se jogou nessas histórias e podemos sentir que a autora tinhas algumas intenções subliminares diante esta obra..

"(...) _ Pai, sei que somos apenas máquinas, mas as vezes eu gostaria de ser humano. Eles se comovem tão facilmente com tudo. Gostaria de saber como é sentir emoção de verdade. ....
Mesmo sendo apenas conto, todos fizeram que eu quisesse ler mais sobre eles, principalmente dois que me chamaram muito a atenção. O primeiro é o diário da jovem gálaxy, a menina vive em cidades submersas, então mora em altos arranha céus, estas cidades ficaram totalmente embaixo d'Água então, tudo que conhecemos sumiu, são raras as praias que ainda existem, e as que tem são extremamente cara as entradas, tem que trabalhar uma vida inteira para poder visitar uma, os animais foram todos extintos, não existe uma formiguinha se quer, as pessoas são obrigadas a raspar a cabeça pois não existe água suficiente para lavá-los, um futuro um pouco distantes, mas com grandes chaces de um dia se tornar real, pois o homem está agindo sem pensar nas consequências de seus atos..

"(...) nós robôs somos obrigados a ser assim porque fomos programados para isso, mas os seres humanos tem o privilegio de mudar e tomar suas próprias decisões, e muitos, ainda assim, preferem não escolher ou simplesmente se conformam. Se tornam escravos da aceitação (...)
O outro conto foi Amigo robô, onde havia uma família inteira de robôs que foram feitos para viver com humanos, mas não sentiam sentimentos assim como nós, tudo ia dentro dos conformes até Brian começar a se aproximar de Tayli, e um grupo de, digamos, "caçadores de robôs" sequestrar a garota achando que esta é um androide (final triste)..

"Para os outros Brian foi só um robô, mas para mim ele foi o ser mais humano que já conheci"
Todavia, como já disse anteriormente, é uma leitura leve, rápida que pode te ajudar a sair daquela ressaca monstruosa, assim vale a pena adquirir esta obra. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Criado por: Mariely Abreu | Todos os direitos reservados ©. voltar ao topo